Dobradinha Honda: Tunico Maciel e Dário Júlio são campeões do Rally Cerapió 2018

330538_763978_39032223995_a1ce984b0b_k

FOTO: IDÁRIO ARAÚJO/VIPCOMM

A 31ª edição do Rally Cerapió, que terminou neste sábado (27) em Teresina (PI), teve dobradinha Honda entre os campeões das motos. O jovem piloto Tunico Maciel, de 24 anos, conquistou o bicampeonato na categoria Master, a principal da competição de regularidade. Já o experiente Dário Júlio, 40 anos, levantou a taça na categoria Over 40 de maneira invicta, pois venceu as 12 etapas nos quatro dias de prova. Foi o quarto título dele no evento – em 2007, 2009 e 2011 venceu na Master.

Tunico correu com a Honda CRF 450RX e Dário com a Honda CRF 230F. Foram os dois primeiros troféus de 2018 para a equipe oficial Honda Racing.

Durante quatro dias de rali, os pilotos percorreram pouco mais de 1.000 quilômetros. A largada ocorreu quarta-feira (24/1) em Trairi, no Ceará. Ao todo, foram 12 etapas, que exigiram muito das máquinas (motos, carros, UTVs, quadriciclos e bikes) e dos 391 pilotos e navegadores inscritos. Desbravaram caatingas, fazendas, serras, rios e riachos.

Em meio a paisagens de tirar o fôlego pelo caminho, como as praias e as vilas de pescadores, muitos trechos perigosos, com descidas íngremes por terrenos escorregadios e pedras escondidas. O roteiro teve ainda laços e dunas, que fizeram os pilotos colocar em prática toda a técnica de navegação e preparo físico.

Além da variação de terreno, houve também diversidade de clima. E, para surpresa dos competidores e da organização, choveu e fez frio em pleno verão no Ceará!

Detalhes dos campeões

330538_763982_39032222585_e577f04833_o

FOTO: IDÁRIO ARAÚJO/VIPCOMM

O campeão de 2017 passou bem por todas as dificuldades e repetiu a dose em 2018. Das 12 etapas, Tunico Maciel venceu 9, foi 2º em duas e 3º em uma. O bicampeonato veio com sua nova Honda CRF 450RX.

Tricampeão em 2007, 2009 e 2011 e vice-campeão ano passado na Master, Dário Júlio disputou o Cerapió 2018 na categoria Over 40, com sua Honda 230F. Com 12 vitórias em 12 etapas, foi campeão invicto.

“Participo dessa prova desde 2005. Neste ano foi a melhor edição. Fantástico. Prova completa, pesada. Exigiu técnica, preparo físico, sinergia do piloto e equipe, equipamento e navegação. Foi uma variedade imensa de terreno. Andamos em terra, cascalho, pedra, areia pesada, barro, cascalho, serra, subida, descida… Foram quatro dias que mediram quem merecia ganhar e perder. Gostei muito. Top! Ano que vem estamos aqui de novo”, disse o agora tetracampeão do Cerapió.

Próximos desafios de Dário Júlio são a abertura do Brasileiro de Enduro de Regularidade, no Rio Grande do Sul, e o Enduro dos Pampas. O Rally Cerapió-Piocerá deu o pontapé inicial da temporada de competições em 2018.

Rally Cerapió 2018 tem 391 inscritos nas cinco modalidades

CategoriaMotos-Cerapió

FOTO: DIVULGAÇÃO

A organização do Rally Cerapió 2018 divulgou na última sexta-feira (19/1) o número oficial de inscritos para a 31ª edição da tradicional prova de regularidade do off road nacional. O evento acontece de 23 a 27 de janeiro, com largada Trairi (CE) e chegada em Teresina (PI).

Ao todo, a competição reunirá 391 participantes de 20 estados mais o Distrito Federal, divididos em cinco modalidades. São 137 atletas nas Bikes; 112 pilotos nas Motos; 94 pilotos e navegadores nos Carros 4×4; 40 pilotos e navegadores nos UTVs e oito pilotos nos Quadriciclos. “Estamos muito felizes em receber todos esses competidores, além de todas as pessoas que compõem as equipes, apoios, etc. O Rally Cerapió/Piocerá é um dos maiores do país em número de inscritos, o que considero resultado de muito trabalho e dedicação nessas três décadas de evento”, destaca Ehrlich Cordão, diretor geral.

A prova é válida pela abertura do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country de Regularidade da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) e também pelo Ranking Nacional de Mountain Bike Stage Race – CBC.

Cada dia terá três etapas, o que totalizará 12 ao final do evento. Para os Carros, há o descarte de duas etapas. Para as Motos, não tem. Na competição para os veículos motorizados, a disputa terá mais de 1.000 quilômetros, durante os quatro dias, passando também por Sobral (CE), Parnaíba (PI) e Piripiri (PI). Já os ciclistas vão percorrer cerca de 300 quilômetros em um trajeto diferente nas cidades de Itapipoca (CE), Sobral (CE), Barra Grande (PI), Parnaíba (PI), Piracuruca (PI), Piripiri (PI) e Teresina (PI).

Programação:

23/01/2018

8h às 14h – Vistoria técnica

15h às 18h30 – Briefing técnico

19h30 – Largada Promocional

24/01/2018 – 1º dia

Trairi (CE) a Sobral (CE) – Carros, Motos, Quadris, UTVs

Itapipoca (CE) a Sobral (CE) – Bikes

25/01/2018 – 2º dia

Sobral (CE) a Parnaíba (PI) – Carros, Motos, Quadris, UTVs

Barra Grande (PI) a Parnaíba (PI) – Bikes

26/01/2018 – 3º dia

Parnaíba (PI) a Piripiri (PI) – Carros, Motos, Quadris, UTVs

Piracuruca (PI) a Piripiri (PI) – Bikes

27/01/2018 – 4º dia

Piripiri (PI) a Teresina (PI) – Carros, Motos, Quadris, UTVs

Circuito Teresina (PI) – Bikes

20h – Premiação

KTM, com Matthias Walkner, leva o título do Dakar 2018

1

FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

O Rally Dakar 2018 terminou no último sábado, dia 20, com vitória da fabricante KTM. O resultado é a 17º conquista consecutiva da marca austríaca. O autor do feito foi o também austríaco Matthias Walkner, que utilizou uma KTM 450 Rally. O argentino Kevin Benavides, que estava a bordo de uma Honda CRF450 Rally ficou com o vice-campeonato.

Confira a classificação final:

1 – Matthias Walkner (KTM 450 Rally): 43:06:01

2 – Kevin Benavides (Honda CRF450 Rally): + 00:16:53

3 – Toby Price (KTM 450 Rally): + 00:23:01

4 – Antoine Meo (KTM 450 Rally): + 00:47:28

5 – Gerard Farres Guell (KTM 450 Rally Replica): + 01:01:04

Já pela categoria SxS (antiga UTV), o título ficou com a dupla Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin. Com o título, o Brasil é campeão do Rally Dakar pelo segundo ano seguido. No ano passado a dupla Leandro Torres e Lourival Roldan foi a primeira a conseguir tal feito.

Durante a 40ª edição da competição, 8.793 quilômetros foram percorridos. Os pilotos consideraram uma das disputas mais difíceis de todos os tempos. Os veículos largaram em Lima, no Peru, atravessaram a Bolívia e encerraram o percurso em Córdoba, na Argentina.

Começa a contagem regressiva para o XI Rally Rota Sudeste

325778_747153_moara

FOTO: DIVULGAÇÃO

Faltam poucos dias para que a emoção e a adrenalina venham à tona para os competidores que desbravarão aproximadamente 430 quilômetros da 11ª Edição do Rally Rota Sudeste, prova de velocidade na modalidade Baja e Cross Country para carros, motos, quadriciclos e UTVs, em dois dias de disputas na região da cidade de Lençóis Paulista (SP). O Rally Rota Sudeste começa oficialmente nesta sexta-feira, dia 10 de novembro, e têm briefing a partir das 19h30.

Porém, antes, os inscritos participarão da parte burocrática da competição, toda programada para o Parque de Apoio do evento, localizado na Facilpa – Feira Agropecuária Comercial e Industrial de Lençóis Paulista, em Lençóis Paulista (SP). As vistorias técnicas e administrativas terão início às 13h30. A primeira largada será no sábado, a partir das 11h.

A piloto Moara Sacilotti, inscrita entre as motocicletas, garante que dará o seu melhor. “Essa é uma etapa que gosto muito, a especial é longa e desafiadora. Embora esteja com uma lesão séria no punho, estou bem treinada e espero fazer uma boa prova!”, comenta a atleta da Kawasaki.

Rally desafiador

Rodrigo Betti Marques é um dos pilotos que acompanha a prova desde 2006, ou seja, desde o início. “Participei antes de moto e, agora, de UTV. Acredito que, mais uma vez, o Arena fará uma prova incrível, muito técnica e bem desafiante”, disse o piloto paulista da equipe Race Rally.

A primeira etapa da prova será no sábado (11) com 216 quilômetros, sendo 165 de trechos cronometrados de muita adrenalina. “Espero vencer esta etapa que é a semifinal do Brasileiro de Rally Baja. Com a vitória, irei para final já campeão de 2017, objetivo que busco desde que iniciei no Baja há três anos. Gosto muito de competir em Lençóis Paulista, o público participa e fica tudo muito animado”, disse Reinaldo Cangueiro de Fernandópolis (SP), destacando a confiança e competitividade do UTV Can-Am Maverick.

Para o estreante no Rally Rota Sudeste, Francesco Carbone, a expectativa é de muita disputa. “Visto que estamos chegando ao final do campeonato brasileiro e tem muita gente com chances reais de brigar pelo título, temos que ser rápidos e sem nenhum erro, pois a briga entre os competidores será acirrada. Uma prova de certa forma longa, com apenas uma volta por dia, onde a concentração tem que estar acima da média”, explica o paulista do Can-Am preparado pela equipe Expert 4×4.

A final da prova, com cerimônia de premiação, será no domingo (12), também no Facilpa, um dos parceiros do Rally Rota Sudeste. Neste dia, a largada será às 8h para as motos, UTVs, quadris (Baja) e, às 10h30 partirão os carros (Cross Country) para 216 quilômetros de roteiro em especial cronometrada e deslocamentos.

As inscrições continuam abertas e podem ser realizadas site oficial:

www.rallyrotasudeste.com.br

Rodrigo Khezam se sagra campeão brasileiro de Rally Baja

3

Foto: DFotos

A pouco mais de um mês da vitória na categoria Brasil do Enduro da Independência, o Enduro de Regularidade mais importante do país, Rodrigo Khezam conseguiu somar ao seu currículo de vitórias mais um grande feito: o de campeã Brasileiro de Rally Baja na categoria nacional.

Ao vencer a 9ª e 10ª etapas no Rally Serra Azul, disputadas nos dias 7 e 8 de outubro, em Itupeva, interior de São Paulo, Khezam conquistou por antecipação o campeonato Brasileiro de Rally Baja na categoria nacional, há duas rodadas do final da temporada 2017. A bordo de uma Yamaha TT-R 230, o piloto ficou com a sexta colocação na geral entre as motos, e primeiro na categoria que disputa, destinada à motocicletas fabricadas no Brasil com até 300cc.

Segundo Khezam, essa vitória tem um sabor especial. Além da conquista do campeonato, ele confessa que essa foi a etapa perfeita dentre todas que disputou em 2017. “Acelerei forte do começo ao fim. Estava confiante com a moto, que como sempre estava ótima. Mesmo com este ritmo em que normalmente a margem de riscos é maior, não cometi erros e andei não muito distante das motocicletas importadas, com maior cilindrada, e consecutivamente mais potência”, revela o piloto. E ele completa: “Mesmo tendo conquistado antecipadamente o campeonato, vencendo 8 das 10 etapas disputadas, seguirei focado em conseguir bons resultados nas etapas restantes, buscar mais um título em 2018 e, quem sabe, vitórias em grandes ralis que pretendo disputar”.

A próxima etapa do Campeonato Brasileiro de Rally Baja, o Rally Rota Sudeste, acontece no dia 08/11, na cidade de Lençóis Paulistas (SP).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ação Social do Rally dos Sertões faz 475 cirurgias, entrega 492 óculos e realiza 1.469 atendimentos

36151982623_a69d1d9a2c_b

Foto: S.A.S.Brasil/Vipcomm

Enquanto pilotos e navegadores lutavam pelas primeiras colocações na edição de 25 anos do Rally dos Sertões, o grupo de voluntários do S.A.S. Brasil (Saúde e Alegria nos Sertões) atuava para levar saúde, esporte e diversão em comunidades ao longo da trilha. Eles executaram 475 cirurgias (ginecológicas, odontológicas e dermatológicas) e distribuíram 492 óculos, entre outras ações realizadas em três cidades.

“Foi incrível, dobramos a estrutura, quase dobramos o número de voluntários e a ação teve um impacto 50% maior no número de atendimentos (em comparação com 2016). Ampliamos as áreas de atuação, com a odontologia e atendimento jurídico às mulheres, foi uma expedição que ficou para a história, assim como os 25 anos do Rally dos Sertões”, afirma a médica Adriana Mallet, coordenadora-geral do S.A.S.

“Contamos com uma equipe fantástica, super comprometida e o balanço foi muito positivo. O Saúde e Alegria nos Sertões está se consolidando como um projeto capaz de realizar e de mostrar que, com poucos recursos, é possível realizar um impacto muito grande na vida das pessoas. Nas cidades em que a gente passou, as crianças precisavam de óculos e ganharam. Resolvemos muitos casos de câncer de pele e de colo de útero em locais que a gente sabe que faltam médicos especialistas e, principalmente, mostramos que dá para fazer e que, em uma semana, é possível causar um impacto positivo neste país que precisa tanto”, declara Adriana.

Na edição de 25 anos do Rally dos Sertões as ações do S.A.S. foram realizadas em Santa Terezinha de Goiás (GO), Alto do Garças (MT) e nas aldeias indígenas de Buritizinho, Limão Verde e Aldeinha, todas em Aquidauana (MS).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Raio X das ações do S.A.S. no Rally dos Sertões 2017:

1.469 atendimentos durante a expedição

4.000 triagens na pré-expedição

4.500 pessoas atingidas (50% mais que no Rally dos Sertões 2016)

492 óculos de grau montados e entregues gratuitamente para crianças

20 óculos que serão entregues posteriormente em razão da complexidade dos casos

475 cirurgias (ginecológicas, odontológicas e dermatológicas)

357 crianças presentes em três sessões de cinema itinerante (Santa Terezinha de Goiás/GO, Alto Garças/MT e na aldeia Limão Verde, em Aquidauana/MS)

350 crianças vermifugadas com a ‘Superfórmula’ (Albendanzol)

1ª vez com atendimento em aldeias indígenas

1.000 kits de sabonetes e bolinhas de sabão distribuídos para crianças

124 mudas nativas plantadas em três cidades para compensar a emissão de carbono da caravana⁠⁠⁠⁠

3 cidades

3 estados

2 carretas

10 carros

4 motos

42 voluntários

3.341 km rodados (de Goiânia-GO a Bonito-MS)

Rally dos Sertões consagra Jean, Cristian/Beco, Diogo Zonato e Bruno Varela/João Arena

320177_726176_103_rs17_magnustorquato_074219

Foto: Magnus Torquato/Vipcomm

Os campeões da histórica edição de 25 anos do Rally dos Sertões foram conhecidos na tarde deste sábado (26), em Bonito (MS). Jean Azevedo (motos), Cristian Baumgart/Beco Andreotti (carros), Bruno Varela/João Arena (UTVs) e Diogo Zonato (quadriciclos) foram os vencedores. Na sétima e última etapa da competição eles saíram de Aquidauana (MS) e chegaram a Bonito (MS).

Jean Azevedo, que já era o maior vencedor do Rally dos Sertões entre as motos, ampliou o número de títulos e agora tem sete. “Foi um rali diferente. Eu comecei com um grande prejuízo logo na primeira etapa, com furo no radiador da moto. Mas, não desisti, estava muito bem preparado e consegui vir tirando a diferença a cada etapa, numa disputa muito boa com o Gregorio Caselani, que é um excelente piloto e, com certeza, chegaríamos na última etapa disputando essa liderança. Infelizmente ele teve um problema mecânico (na quinta etapa). De qualquer forma, fechamos em primeiro e segundo e toda a equipe Honda está de parabéns”, disse o piloto, que anteriormente já havia vencido em 1995, 2000, 2002, 2004, 2005 e 2015.

Nos carros, Cristian Baumgart e Beco Andreotti conquistaram o bicampeonato. Eles lideraram de ponta a ponta e na última etapa levaram um susto. “Foi muita emoção. Tinha muita pedra no caminho e furou um pneu. Depois, o motor começou a dar umas falhadinhas”, contou Cristian. “A gente veio controlando desde a quarta etapa, mas essa de hoje vai entrar para a história. A conquista é de todos da equipe”, completou.

Nos UTVs, a disputa foi acirrada e só foi definida no último trecho, quando Bruno Varela e João Arena garantiram o título, com sete minutos de diferença para Lucas Barroso e Breno Rezende, que terminaram em segundo. “Este é um momento muito feliz e histórico. Gostaria de agradecer muito o meu navegador João Arena, que durante todo o percurso ajudou a me controlar”, afirmou Varela.

Nos quadriciclos, Diogo Zonato e George Ximenes iniciaram a última etapa do Rally dos Sertões com uma diferença de pouco mais de 30 segundos. No final, deu Zonato, que quase não acreditou na conquista. “Achei que tinha perdido o título, pois não fui bem na primeira parte da especial. Acelerei muito na segunda metade e quando conclui, fui parabenizar o George Ximenes. Aí fiquei sabendo que eu tinha sido campeão”, contou Diogo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Classificação final do Rally dos Sertões 25 anos:

Carros

1º Cristian Baumgart/Beco Andreotti 21h38min26

2º Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin 21h45min23

3º Alvarez Fernando/Juan Monasterolo 23h38min14

4º Michael Terpins/Maykel Justo 24h18min15

5º Guiga Spinelli/Youssef Haddad 24h38min57

Motos

1º Jean Azevedo 24h49min12

2º Gregorio Caselani 26h29min11

3º Bruno Airton Leles 27h21min18

4º Júlio ‘Bissinho’ Zavatti 27h21min56

5º Luciano Gomes 27h22min56

UTVs

1º Bruno Varela/João Arena 25h38min22

2º Lucas Barroso/Breno Rezende 25h46min19

3º Ismar Júnior/André Sá 26h08min06

4º Edu Piano/Solon Mendes 26h14min11

5º Marcelo Gastaldi/Claudio Silveira 26h20min16

Quadriciclos

1º Diogo Zonato 27h38min44

2º George Ximenes 27h40min31

3º Milton Martens 30h33min46

4º Pedro Costa 33h58min05

5º Geison Belmont 39h52min56