Kawasaki Racing Team: mesmo com problemas, KRT vence na Tailândia e assume liderança do Mundial de SBK

imagem_release_1239346

FOTO: KAWASAKI USA

A rodada da Tailândia foi marcada por grandes dificuldades, mas também pelo início da disputa direta pela manutenção do título mundial. Jonathan Rea (#1), da Kawasaki Racing Team, garantiu a pole position, faturou a primeira vitória na temporada e assumiu a liderança do Mundial de SuperBike. Já o seu companheiro de equipe, Tom Sykes (#66), teve muito pouco a comemorar nas corridas do Circuito de Buriram, realizadas neste final de semana dos dias 24 e 25 de março. O piloto britânico enfrentou problemas mecânicos nas duas baterias da 2ª etapa e deixou o país asiático com apenas um sexto lugar.

O que na abertura da rodada parecia muito promissor para a dupla da Kawasaki Racing Team acabou se mostrando um grande infortúnio em seu último dia na Tailândia. O atual bicampeão, Jonathan Rea, não alcançou seu melhor desempenho na segunda bateria, disputada no domingo (25), e encerrou a prova apenas na quarta posição.

“Acho que o meu problema (nos freios) deve ter sido parecido com o que o Tom (Sykes) enfrentou ontem (sábado). Depois de uma prova muito difícil em Phillip Island, nós conseguimos sair daqui com um primeiro e um quarto lugares e ainda ocupando a liderança do campeonato. Por isso não foi um desastre. Estou frustrado, mas com um sorriso no rosto, porque pelo menos a moto estava boa e esta é a pior de todas as pistas do campeonato para os freios. Senti que poderia ter lutado pela vitória novamente, mas foi o que deu para fazer”, conta Rea.

Enquanto isso, para Tom Sykes, o dia foi para ser esquecido. O britânico teve problemas na dianteira de sua Kawasaki Ninja ZX-10RR e, após completar a sétima volta, decidiu recolher aos boxes para evitar uma possível queda.

“Desde o início das primeiras voltas nos treinos livres no (Circuito) Buriram me senti em forma, assim como me sentia em Phillip Island. Depois da Superpole, eu estava pronto para as corridas. Acho que nesse estágio, a moto devia ser capaz de lutar pela vitória. Mas foi um desastre absoluto”, resumiu Sykes.

Já a primeira bateria, realizada no sábado (24), foi mais promissora para os pilotos da Kawasaki Racing Team. Após garantir a pole position, com o tempo de 1m32s814, Jonathan Rea fez um bom início de prova e manteve a liderança por praticamente toda a corrida. Mesmo sem conseguir manter uma grande vantagem para os oponentes, o piloto norte-irlandês cruzou a linha de chegada na frente e comemorou a sua primeira vitória no ano.

“Tivemos alegria e alívio em ganhar hoje (sábado). Em Phillip Island, no primeiro round, fiquei um pouco abatido após ter enfrentado uma doença, uma lesão e uma corrida realmente difícil. Minha estratégia aqui era acompanhar o pelotão, porque assim poderia ver quantos adversários seriam rápidos. Mas vi que o Tom (Sykes) estava com problemas, então joguei o plano pela janela. Segui sozinho, estabelecendo meu próprio ritmo. Foi muito difícil, especialmente no calor e sem nenhuma referência à frente. Meus tempos de volta ficaram muito consistentes e isso foi o suficiente para manter a diferença. Mas cometi um erro enorme na Curva 3 e perdi muita vantagem da minha liderança, então tive que trabalhar novamente. Baixei a cabeça por algumas voltas e consegui administrar as coisas”, conta Rea.

Para Tom Sykes, a prova foi marcada por problemas mecânicos em sua moto. O piloto britânico largou bem e nas voltas iniciais chegou a ocupar a liderança temporariamente. Porém, com falhas nos freios, acabou perdendo desempenho e também posições. Apesar de lutar para seguir competitivo, Sykes não conseguiu impedir as ultrapassagens e encerrou a prova na sexta posição.

“Tive um problema com o sistema de freios e depois de cinco ou seis voltas fiquei sem ajuste. Eu não conseguia conduzir a moto como queria e assim não era possível obter o melhor proveito nas curvas”, explica Sykes.

Com os resultados obtidos na Tailândia, Jonathan Rea somou 38 pontos e pulou para a liderança do campeonato com 69 pontos conquistados. Já Tom Sykes deixou a vice-liderança do classificatório geral e caiu para a sétima posição com 43 pontos. Enquanto isso, na disputa entre fabricantes, a Kawasaki é a segunda colocada com 78 pontos.

Agora o Mundial de SuperBike deixa o continente asiático e segue para a Europa. A 3ª etapa será realizada no tradicional circuito de MotorLand Aragon, na Espanha, nos dias 13, 14 e 15 de abril.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s